quarta-feira, 29 de abril de 2009

A Bíblia não foi o 1º livro impresso no mundo

Poucos sabem que o primeiro livro impresso no mundo com tipos móveis metálicos, técnica supostamente inventada por Gutemberg, foi impresso na Coreia e é oitenta anos anterior à impressão da Bíblia.

Em julho de 1377, os religiosos Seokcan e Daldam utilizaram tipos móveis metálicos para imprimir o Jikji, um trabalho do monge coreano Beagun Hawsang, que, em 1372, compilou, em dois volumes, os ensinamentos essenciais do "Seon" – nome coreano para o Zen Budismo. Este seria então o mais antigo exemplar de um livro produzido com tipos móveis.

Caixa, restaurada, dos tipos móveis usados na impressão do Jikji

O livro foi adicionado ao programa Memória do Mundo, em 2001, pela Coreia, com a seguinte descrição: “Memória do Mundo > registro Patrimônio> Baegun hwasang chorok Buljo Jikji Simche Yojeol (vol.II)”, ou simplesmente Buljo Jikji Simche Yojeol, ou Jikji.

O interior das páginas do Jikji

Alguns esclarecimentos necessários:
  • o programa Memória do Mundo, foi criado pela Unesco, em 1992. O programa objetiva preservar e proteger o patrimônio documental do mundo e garantir o acesso permanentemente, e sem entraves, a todos;
  • Jikji é a abreviatura de um documento coreano budista, cujo título completo pode ser traduzido como "Antologia dos Grandes Sacerdotes Budistas’ Zen Ensinamentos", ou "Ensinamentos de Buda sobre a identificação do Espírito pela prática de Seon".
O volume do Jikji que sobreviveu foi preservado na Biblioteca Nacional da França e contém apenas 38 páginas, enquanto a versão completa dos 307 capítulos da Antologia é preservada em uma impressão em madeira na Biblioteca Nacional da Coreia.

A obra foi impressa no antigo templo Heungdeok-as, da cidade de Cheongju, com fundos doados pela sacerdotisa Myodeok. A impressão, feita com tipos metálicos móveis, só surgiu na Europa quase oitenta depois, quando Gutemberg imprimiu a Bíblia (1455), um trabalho que o inventor havia iniciado em 1450.


A capa e a última página do Jikji

A técnica dos tipos metálicos móveis permaneceu inalterada pelo menos durante os 430 anos posteriores à impressão coreana. Acredita-se que a técnica tenha sido usada antes de 1377, mas, se o foi, os trabalhos se perderam.

Os tipos móveis definidos para a impressão da última página do Jikji,
como restaurada por O Guk-Jin

O Jikji esteve na posse de Collin Plancy, encarregado de negócios da embaixada francesa em Seul, até 1887, quando foi vendida em um leilão em Paris, em 1911, adquirida por Henri Vever. Quando Vever morreu, em 1950, a obra foi doada à Biblioteca Nacional da França, onde atualmente se encontra.

Observações:
  • fotos relacionadas à nomeação da República da Coreia – “Baegun hwasang chorok buljo jikji simche yojeol (vol. II), o segundo volume da ‘Antologia dos Grandes Sacerdotes budistas' Zen Ensinamentos’" –, junto ao programa Memória do Mundo;
  • A história completa do Jikji pode ser vista no site Jikji World

Fontes:
Unesco1
Unesco2
Wikipédia (EN)
Wikipédia (PT)

Imagens:
Unesco3

3 comentários:

thais_frm disse...

Consta no livro XILOGRAVURA-ARTE E TÉCNICA de Anico Herskovits:
"O primeiro livro impresso e datado conhecido é a Sutra do diamante (China, 868 d.C.)...

Bom dia!

Leandro disse...

massa

Anônimo disse...

Mentira das grossas essa,heim?
Lógico que foi a bíblia o primeiro livro impresso, e foi o meu tatatatatatatatatatatatatatatatattatatatatatatatatatatattatatatatatatatatatattatatatatravô Abraão que escreveu e a imprimiu na grafica Novo Mundo.

 

  © 2009 Spiritus Litterae

DigNow.org

True Contemplation Blogger Template by M Shodiq Mustika  

BlogBlogs.Com.Br
Spiritus Litterae Technorati Profile