sexta-feira, 17 de abril de 2009

Leiloado livro que pertenceu a Hitler

O Centro de Leilões do Hotel Drouot (Paris/França), vendeu, na semana passada, um livro que pertenceu a Adolf Hitler, por 1.800 euros (R$ 5.160,00). O comprador ficou no anonimato.



O livro
Publicado em 1712, fala sobre a história dos governantes europeus, desde o duque de Savoy até o rei da Prússia. Belamente encapado, em sua folha de rosto, uma ilustração representa a guerra, o ódio e a discórdia na história europeia.

Supostamente, o exemplar foi pego por um membro da 2ª Divisão Armada da França, no retiro de Hitler localizado em Berchtesgarten/Obersalzberg, nos Alpes bávaros. Era lá que o ditador guardava seus livros mais apreciados, incluindo volumes de Shakespeare.


Dois pontos de vista do lado oeste da Casa de Hitler

Uma característica desse exemplar que o difere de muitos outros é que ele não contém dedicatória de amigos ou admiradores, como Heinrich Himmler, Herman Goering, Leni Reifenstahl, entre outros. Grosso modo, isso indica que a obra foi uma escolha pessoal, o que a torna mais relevante.


A biblioteca
O líder nazista reuniu 16 mil livros durante sua vida. Suas maiores bibliotecas ficavam localizadas em Berlim, Munique e Obersalzberg. Conta-se que, durante sua vida adulta, ele lia “um livro por noite”.

A maior parte da coleção de Hitler (7 mil livros), abordava questões militares; 1.500, referiam-se a arquitetura, teatro, pintura e escultura. Ficção e clássicos eram minoria, mas, entre estes encontravam-se Robinson Crusoé e Don Quixote. Além desses, muitos tratavam de ocultismo, religião e assuntos espirituais.

A coleção desapareceu na primavera de 1945, vitimada pelos soldados americanos, franceses e russos. Atualmente, 1.200 obras estão na biblioteca do Congresso norte-americano, em Washington, outras na Universidade Brown, em Rhode Island e outros foram levados para a Rússia, mas não se sabe quais nem quantos.


A importância de um livro de Hitler
Um livro diz muito sobre seu proprietário, seu caráter, identidade, gostos, interesses, pensamentos. Um livro permite que seu leitor seja visto em sua intimidade, que seja observado e trazido à tona. Uma anotação aqui, partes do texto sublinhadas ali, algumas páginas mais manuseadas que outras, livros sem nenhum manuseio... Tudo isso faz parte dos segredos que um livro guarda.

Este seria o grande interesse e o verdadeiro valor, para pesquisadores e estudiosos, de um livro que pertenceu a Hitler. “(...) o tipo de fonte primária de evidência histórica de que os estudiosos de Hitler carecem. Infelizmente, esses livros aparecem rapidamente nos leilões e depois somem em coleções privadas”, diz Timothy W. Ryback, que analisou a biblioteca do líder nazista para a publicação de seu livro “A Biblioteca privada de Hitler: os livros que moldaram sua vida”, ainda inédito no Brasil.


O que pensaria o Führer
Hitler, onde quer que tenha sido enterrado, deve estar se remexendo em seu túmulo. Ele deixou ordens expressas para que seus pertences fossem destruídos, não desejava que o mundo tivesse qualquer outra visão sobre sua pessoa que não a que ele construiu.
.

Informações:
UOL Notícias
Revista Bula
História Viva

Imagens:
Terceiro Reich em Ruínas
Revista Bula

1 comentários:

MGHORTA disse...

Passei numa rapidinha nos seus espaços, são maravilhosos e muito harmoniosos.

Além disso, sua maneira de descrever os assuntos, originais.

Parabéns.

 

  © 2009 Spiritus Litterae

DigNow.org

True Contemplation Blogger Template by M Shodiq Mustika  

BlogBlogs.Com.Br
Spiritus Litterae Technorati Profile