segunda-feira, 11 de maio de 2009

Flagrante caso de plágio

A Revista Analytica publicou dois estudos inteiramente (da primeira à última palavra, exceto o título), plagiados de publicação feita pela revista Química Nova (2007), da SBQ (Sociedade Brasileira de Química), conforme noticiado pela Folha Online (7/5/09).

Um dos artigos é de autoria do grupo do químico Ivo Küchler, professor da Universidade Federal Fluminense, e o autor do plágio, o engenheiro químico Johnson Pontes de Moura, que também plagiou um estudo sobre combustão de metano, do grupo de Ione Baibich (UFRGS). Küchler ficou estupefato pelo plágio ter sido da íntegra do artigo e entende ter havido também negligência da revista, uma vez que, se buscado por palavras-chave, seu trabalho seria facilmente localizado na internet.





A Revista Analytica cedeu uma página de sua próxima edição para a devida retratação, além de ter colocado o aviso (imagem) em sua home.




Independentemente das retratações e das medidas cabíveis,
fica uma sensação estranha ao pensarmos que, de agora em diante, uma das funções dos meios de comunicação é fazer buscas pela internet para decidirem se publicarão, ou não, determinado artigo.

A mesma a Folha (28/3/09), transcreveu parte da Gramática Houaiss da Língua Portuguesa, esclarecendo as variadas formas de se reescrever/reelaborar um texto, veja abaixo:

"4.5.6.4.2 Reelaboração - A reelaboração consiste em produzir um texto (texto meta) derivado de outro (texto fonte). A relação entre os dois é geralmente de todo e todo. Entre os modos de reelaborar um texto, cinco são bem conhecidos, como segue.
  • 4.5.6.4.2.1 Paráfrase - A paráfrase consiste em refazer um texto fonte em função de seu conteúdo. É uma categoria que abrange resumos, condensações, atas, adaptações relatórios.
  • 4.5.6.4.2.2 Tradução - Tradução é uma variedade de reescrita de um texto, em que o texto meta é reelaborado em uma língua diferente daquela em que foi produzido o texto fonte. Tradução e paráfrase mesclam-se no gênero 'tradução adaptada', comum quando se trata de traduzir obras literárias muito extensas para o público infantil ou infanto-juvenil.
  • 4.5.6.4.2.3 Paródia - A paródia é a recriação de viés crítico, com intenção cômica ou satírica. Na paródia, o texto fonte não é apenas o ponto de partida. Ele permanece entrevisto no espaço do texto recriado, sem o que se perde o efeito de sentido da paródia.
  • 4.5.6.4.2.4 Plágio - O plágio consiste na apropriação ou imitação, essencialmente ilícita, de texto alheio. Pode ser parcial ou total, distinguindo-se da paráfrase e da paródia por ocultar seu processo de criação. A facilidade, criada pela internet, do acesso a textos alheios aumentou consideravelmente a prática do plágio nos meios acadêmicos.
  • 4.5.6.4.2.5 Retificação - A retificação consiste no ato discursivo pelo qual o enunciador corrige ou modifica uma palavra, uma construção, uma formulação com o propósito de tornar a expressão mais precisa ou mais adequada. O alvo da retificação é normalmente um fragmento de texto, e pode ser extraído de um discurso alheio ou do discurso em processo do próprio enunciador, como nesta passagem de Nelson Rodrigues:
'(O pintor) punha no colarinho uma gravata feérica ou, melhor dizendo, uma gravata que era um repolho multicolorido.' [RODRIGUES, 1993: 225]" (transcrição literal)


Fontes:
Folha Online
Revista Analytica

9 comentários:

Alan Niemies disse...

Nossa, uma revista que faz isso perde totalmente a moral. Mas creio que essa Revista Analytica nem se deu ao trabalho de pesquisar o texto do engenheiro químico, a fim de ver se há algum erro desse tipo, como plágio total (mas com certeza agora ela aprendeu).
Na blogagem, que é a minha área, isso acontece aos montes. Todo mundo sabe que plágio em blogs é uma desgraça. Mas, em revistas, as consequências são muito maiores!

Abração, obrigado pela visita ao Análise Blogueira e boa noite Margga!

Teodoro disse...

Venho aqui em nome dos alunos de Engenharia Química da UFRN, local onde o esse "tal" de Johnson é formado, deixar nossa indignação pelo ocorrido. Assim como muito alunos do nosso curso, eu também dou o melhor de mim para desenvolver artigos científicos com qualidade e importância social, o que faltou ao Johnson. Tenho absoluta convicção de que este artigo foi publicado dessa maneira sem o conhecimento de seu orientador.
É uma vergonha que o nome desse picareta esta vinculado a UFRN e ao nosso curso, nome este que não será sujado por um ato desse frente aos ótimos artigos "originais" que o nosso departamento publica. Isso com certeza é um fato isolado, afinal de contas honestidade é uma qualidade, nesse caso, de consciência individual.

Indignado disse...

sse Johnson Pontes, com um curriculum falso, chegou a ser selecionado para o propgrama de pos graduacao em engenharia quimica da UFCG, em marco de 2008. Descobriu-se que o plano de tese que ele apresentou era plágio de um outro sendo desenvolvido na UFRN. O mesmo foi desligado do programa da UFCG por varios motivos, incluindo plagios. Foi formalizado processo interno contra o mesmo conforme disse o Prof. Kepler. Só que agora ele já foi desligado por sua conduta, e nao tem muito o que a Universidade fazer contra o mesmo.

Anônimo disse...

Esse Johnson é a pessoa mais louca que já conheci, infelizmente já fui aluna dele, e além de ser um grande plagiador é um péssimo professor.Na sala de aula se enrolava para resolver até integrais (muito fáceis). E além disso tudo, essa criatura se acha o tal 'a Estrelinha'. Acho que ele deve ser acompanhado por um psiquiatra, que com certeza vai constatar a loucura em fase avançada. Ele deve banido do meio academico e este caso deve ser divulgado o máximo possível, pois existem instituições que podem contrarar este lunático, sem saber o que estar acontecendo. Um caso interressante que ocorreu na sala e me chamou atenção (quando li o comentário do Prof. Kepler Borges França), uma vez o Johnson nos mostrou um vídeo em que tinha o Prof. Kepler Borges França, e durante o vídeo ele falava o tempo todo ''Valeu Prof. Kepler Borges França vc me ajudou muito, me ensinou muito'' além de outros comentários de agradecimento ao Prof. Kepler Borges França. Viram como ele é louco...o Prof. Kepler Borges França tinha até processos contra ele e ainda tava agradecendo. Escrevi como anonina, pois nunca se sabe o que passa na cabeça desses loucos...

Prof. Kepler disse...

Eu, Prof. Kepler Borges França, docente do Departamento de Engenharia Química da Universidade Federal de Campina Grande - UFCG, também fui vítima, junto com vários colegas e alunos do mesmo departamento, das fraudes de vários artigos e trabalhos já “publicados” em eventos. Para o conhecimento de todos existem trabalhos por ele publicados que tratam de anotações de aulas de professores, bem como usufruiu de meu nome em artigos que nunca publiquei. Existe um processo contra esses crimes praticados pelo Sr. Johnson Pontes de Moura e Srª Fabiana Alves Pinto, no âmbito da UFCG de N° 23096026449/08-21 que solicita a UFCG para tomar as devidas providencias sobre as fraudes e assinaturas de várias pessoas que o próprio usou para enviar os trabalhos. A título de conhecimento as provas originais se encontram no processo.
Eu, como educador desta instituição brasileira o que posso fazer para evitar que esse cidadão usufrua da mídia para tornar um “Curriculum Vitae” uma enciclopédia de tecnologia fantasma?!

Anônimo disse...

Pessoal
Eu estudei com Jonhson Pontes de Moura e posso afirmar que ele merece antes de tudo o sentimento de pena porque ele mesmo se destroi. Por mais que eu falasse do comportamento doentio dele vocês conseguiriam ver claramente o que ele representa.

Eu acho que as pessoas não deveriam ficar alimentando comentários sobre essa pessoa porque ela já se destruiu e acho muito dificil se levantar principalmente porque ele é incapaz de uma auto crítica.

Ele é o pior mau carater que tem. E o INGENUO que não tem capacidade de perceber como os seus atos são faceis de ser descobertos. Só isso já é um bom motivo para lamentarmos porque todo o mau que ele fez aos outros fez dele sua maior vítima.
E uma pessoa lamentavel em todos os sentidos que eu conheço e eu o conheci pessoalmente. Então pessoa não sinta raiva dele, sinta pena.

Menelau disse...

Este senhor Johnson Pontes de Moura e Fabiana Alves Pinto são uma vergonha para ciencia nacional. Ele não teve nem a capacidade de trocar as vírgulas dos artigos.
A Instituição que ele trabalha deveria ser informada. Mais ainda a enciclopédia Biosfera (De goiania) deveria ser informada pelo ato vergonhoso deste senhor, visto que alem dos 2 papers plaginados e publicados na Analytica e só tem paper na enciclopédia biosfera (um total de 16. Os quais também devem estar sob suspeita depois de comprovado o ato vergonhoso com os autores verdadeiros, com a revista química nova e com a revista analytica. Mais ainda, com a dignidade humana!

Richardson Pessoa disse...

oiiii sou uma ''aluna'' do Professor pontes, gostaria de saber se esses processos já tiveram suas sentenças dadas, pq ele da aula no IFPE Campus Ipojuca e fiquei um pouco atormentada por ver tantas barbaridades a respeito deste professor, que por aqui é muito temido por seu jeito durão e cheio de inteligência, será isso real ou só mais um plágio dele?... gostaria de uma resposta concreta... agradeço!!

MarGGa Duval disse...

Bom Richardson, pelos demais comentários acho que não dá para questionar muito sobre a veracidade das informações.
Acho que devemos dar uma nova chance às pessoas, mas pelo seu pequeno relato, parece que "o tal professor" não aprendeu nada, não é?
O que entristece é saber que pessoas como ele continuam a espalhar o mau por onde quer que passem.

 

  © 2009 Spiritus Litterae

DigNow.org

True Contemplation Blogger Template by M Shodiq Mustika  

BlogBlogs.Com.Br
Spiritus Litterae Technorati Profile